I miss you…

Eu sinto sua falta, a falta da sua companhia.

  • companhia para assistir os quase intermináveis episódios de alguma série
  • companhia para aguardar ansiosamente o próximo episódio
  • companhia para conversar por telefone ou vídeo que duravam horas
  • companhia para explorar o mundo
  • companhia para dividir aquela pizza e saber que o último pedaço seria meu
  • companhia para ir ao cinema, mas acabar dormindo no seu colo
  • companhia para pedalar sem destino
  • companhia para simplesmente deitar na grama e esperar a hora passar
  • companhia para lermos algum livro
  • companhia para dizermos o quanto tínhamos gostos musicais diferentes
  • companhia para cada selfie ser um brincadeira divertida
  • companhia para cada novo restaurante era uma careta nova
  • companhia para cada amanhecer havia um bom dia
  • companhia para nadar mesmo que fosse como um pato
  • companhia para não ter medo do novo
  • companhia para linha de código ter um teste
  • companhia para andar abraçados atrapalhando o andar na calçada
  • companhia para …

… simplesmente sermos companhia

“Não sei por que você se foi
Quantas saudades eu senti
E de tristezas vou viver
E aquele adeus não pude dar
Você marcou na minha vida
Viveu, morreu na minha história
Chego a ter medo do futuro
E da solidão que em minha porta bate

E eu
Gostava tanto de você
(Tim Maia)

Um breve relato

São 4:25 da manhã, você acorda e olha no relógio, se lembra que ainda pode dormir por mais 3h. Se vira cama, vira do outro lado, fica de barriga pra cima, olha para o teto e nada. Isso porque detou-se era quase 1:00, porém se sente como tivesse dormido uma eternidade e o corpo pesado. Alguns minutos passam, nada de voltar a dormir. Então se levanta vai à cozinha, toma um copo de àgua, observa por um tempo a janela, como a lua brilha lá fora e as árvores se mexem com o vento, fazendo aquele ruído entre a meia janela aberta. Dirigi-se ao banheiro, ascende a luz e a luminosidade parece atacar os olhos, que imediatamente parecem estar se ditalando. Senta-se na privada e faz um longo e calmo xixi. Enquanto lava as mãos, sente aquela água gelada esfriando a pele, mas em uma sensação de frescor. quando termina, olha-se ao espelo. Começa a notar alguns pêlos da sobrancelha fora do lugar, aquilo já lhe tira o estado de conforto, procura por uma pinça e tira-os. Observando mais um pouco, ve algumas pequeninas manchas vermelhas, como de pequenas espinhas, alguns pelinhos no nariz, a cara de bolacha, o cabelo que está crescendo mostrando-se como é originalmente, as olheiras que estão mais escuras que o normal, pois esqueceu-se de tirar a maquiagem antes de dormir. Tudo parece ter algo de errado, algo que incomoda, algo que não está dentro do padrão da percepção.